Formatura de Professores em curso sobre o autismo é realizada no centro cultural

No dia 27 de agosto, no Centro Cultural Reinaldo Castanheira, a Prefeitura de Paragominas, por meio da Secretaria de Educação em parceria com a UFRA, certificou 67 professores que participaram de um curso que abordou o Transtorno do Espectro Autista (TEA), ofertado pela universidade.

Atualmente, a rede municipal de ensino compreende 120 crianças diagnosticadas com autismo, abrangendo desde a educação infantil até o 9º ano. É uma incidência alta cuja tendência é intensificar-se ainda mais ao longo dos anos. Devido à carência de conhecimento e a importância do mesmo, o secretário de educação aceitou fazer uma parceria com a UFRA, que já estava oferecendo um curso de aperfeiçoamento.

Segundo a Dra. Mozimeire Costa, a formatura dos professores representa o respeito que a cidade de Paragominas possui em relação às nossas crianças, as dificuldades de lidar com o autismo fizeram com que a secretaria de educação se atentasse à essa necessidade de instrumentalização da rede de conhecimento, principalmente para cuidar dos autistas.

“Paragominas verdadeiramente cuida desse processo de inclusão. Temos os cuidadores, nós temos os intérpretes... enfim, todo esse movimento integrador que fazemos em nossa cidade. E quem ganha com isso são os nossos munícipes, em especial as nossas crianças, adolescentes e jovens em idade escolar”, afirmou.

Foram seis meses de curso, com uma carga horária de 170 horas, os professores se reuniam na Escola Belarmina Fernandes a cada quinze dias para assistir a 16 horas de aula. O processo de finalização do curso incluiu um projeto no qual os professores se reuniam em grupos para expor o seu aprendizado ao longo desses seis meses, atingindo outros professores da rede que não tiveram acesso direto a esse conhecimento, foram em média mais de 500 professores alcançados por esse aprendizado.

O autismo, por ser um transtorno neurológico caracterizado pelo comprometimento da interação social, pode dificultar a presença dessas crianças nas escolas. Nesse sentido, a partir da conscientização e da facilitação ao acesso à informação aceca do autismo, o curso objetivou fortalecer o processo de inclusão social desses estudantes.