Aluguel Social entra em vigor para auxiliar as famílias atingidas na enchente de abril

A Prefeitura de Paragominas, através da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) e demais órgãos, continua com os trabalhos a fim de atender a demanda de pessoas atingidas na enchente e cadastradas junto a secretaria que estão recebendo algum tipo de benefício.
Entre eles, está o Benefício Eventual onde três parcelas já foram pagas para um determinado grupo de pessoas. Contudo, na preocupação de continuar no amparo das famílias, a Prefeitura entrou com o projeto do Aluguel Social que está e continuará auxiliando os atingidos, até que a situação de moradia das famílias que perderam suas casas seja resolvida.
“As pessoas que estão no Benefício Eventual – a Lei Estadual diz que ele é só por três meses, nós não conseguimos prorrogar – após receberem os três meses já entram no Aluguel Social, que é uma Lei Municipal que possibilita a Prefeitura a disponibilizar um valor para essas pessoas pagarem os seus aluguéis, tendo uma moradia, até uma solução em definitivo que estamos buscando”, disse o Prefeito Paulo Tocantins.
Esse passo dado pela Prefeitura de Paragominas tem como objetivo propor mais apoio às famílias que ainda não conseguiram se reestabelecer após as enchentes e também estão na espera da construção de novas moradias, por isso, a ideia de continuar com o auxílio, através do Aluguel Social. “Essas famílias, perderam além dos seus pertences pessoais, perderam as suas casas também, e aí não poderiam ficar sem ter um teto, e aí nós buscamos junto ao Estado o Benefício Eventual por três meses, e após isso, entramos com mais um benefício, o Aluguel Social mantido pela Prefeitura de Paragominas”, falou.
Passo esse muito importante na vida da população que necessita dessa ajuda, como é o caso do senhor Antônio Alves, morador do bairro Laércio Cabeline, “é muito bom, porque isso é uma ajuda pra gente pois estamos desabrigados, morando de aluguel, então esse dinheiro que saiu ajuda muito, aí vai sair essas casas e nós vamos sair do aluguel”, destacou.