“Minha Paragominas completa 52 anos e ela está mais linda a cada dia!”

É o que diz o cantor Armínio Augusto, que mora em Paragominas desde “bebê”. “Só nasci em Conceição do Araguaia, mas vim pra cá bebezinho”, diz o cantor, em meio a um grande sorriso. Ele, que viveu em uma Paragominas “diferente”, diz que tem saudades de como ela era, mesmo preferindo os ares modernosos que a cidade ganhou ao longo dos anos.

 

Armínio completa 4 anos de carreira em 2017 e, embora tenha morado em Goiânia por um tempo, celeiro de grandes nomes da música sertaneja, preferiu retornar à Paragominas para lançar sua carreira e fazer “o seu público”. “Optei em começar uma história aqui porque vi a oportunidade de cantar para a minha gente, minha família, meus amigos. Graças a Deus, vem dando certo”, afirma Armínio.

 

Quem também viu oportunidade na cidade foi a dona Vera Lúcia Santos, de 60 anos, uma mineirinha da cidade de Uberlândia. De um ar calmo, ela fala que Paragominas é acolhedora. Relembra também como foi chegar ao município, sem ter tido nenhum contato anterior. “Coloquei minha mudança num caminhão e cheguei a Paragominas, sem nunca ter visitado antes”, conta Dona Vera. Isso porque, três dos seus quatro filhos vieram morar na cidade e, ela não aguentou a saudade e veio atrás. “Chegando aqui, meu esposo e eu tivemos a oportunidade de trabalhar e hoje, ele está aposentado e eu ainda trabalhando no mesmo lugar onde comecei”, ressalta Dona Vera. Para ela, a cidade melhorou (e muito). “Hoje Paragominas é uma princesa, uma rainha”, finaliza.

 

Maxiely Scaramussa Bergamin é advogada e nascida no Espírito Santo. Chegou à Paragominas com apenas 3 anos de idade, quando a família decidiu tentar a vida pra essas bandas. Em 2015, lançou um livro “Paragominas – A experiência de se tornar um município verde na Amazônia”, contando a trajetória dos 50 anos da cidade, como foram os ciclos econômicos, o capital social, etc. Ela acredita que Paragominas consegue ser destaque no cenário estadual e até nacional, porque a sociedade é crítica e se une em prol de um objetivo. “Foi assim quando, na década de 90, os munícipes decidiram mudar a condução da política, abandonando a ‘velha política’, por um modelo mais empresarial, focado nos resultados. De lá para cá, muitos avanços foram conquistados e muito ainda se tem a fazer”, explica a advogada.

 

Paragominas chega aos 52 anos, uma cidade nova ainda, com potencial grande. Atualmente, ostenta o título de “Município Verde”, a cada dia, consolida-se como polo agrícola e industrial, fomentando o desenvolvimento planejado e ordenado. A cidade apresenta uma infraestrutura urbana de dar inveja a qualquer grande centro, com ruas limpas e sinalizadas. Avançou muito no sistema de abastecimento de água e hoje, 95% das casas de Paragominas tem à disposição uma Rede de Abastecimento e ainda este ano, será concluída a primeira etapa do Sistema de Esgotamento Sanitário da cidade, que beneficiará inicialmente mais de 30 mil pessoas, tornando Paragominas umas das únicas cidades do Pará com este benefício para população.