Projeto da Secult visa resgatar jovens em situação de vulnerabilidade

A cidade de Paragominas possui diversos projetos a fim de atender a população local para que a cultura e o esporte sirvam de incentivo para os jovens. Por isso, a Prefeitura de Paragominas através da Secretaria Municipal de Cultura, Desporto e Lazer (SECULT), criou mais uma ação com o intuito de atender a demanda dos jovens paragominenses. Dessa vez, o projeto é direcionado para a população moradora da Colônia do Uraim.

De acordo com Jane Vieira, coordenadora de cultura da Secult, o principal objetivo desta ação é atender as crianças e adolescentes da colônia e também resgatar jovens que estão fora das escolas. O plano foi traçado justamente para atender essas comunidades que moram mais distantes do centro de Paragominas para que não fiquem de fora de atividades culturais.

O projeto conta com diversas aulas, incluindo esporte e também música, como capoeira, danças regionais, canto coral, futsal, música com foco em aula de instrumento de sopro e percussão, “temos a aula de música onde a gente contempla aula de percussão e instrumento de sopro, justamente para fortalecer a banda local que é pertencente a Escola Comunitária do Uraim”, destacou Jane.

Segundo Jane, todas as terças e quintas, os professores da Secult são levados até a colônia para ministrar as aulas que começam às 18h, e vão até as 19:30, horário esse pensado para não atrapalhar a rotina dos moradores, “a gente não pode se esticar muito porque não são só alunos que moram próximo ao centro comunitário, mas também alunos que moram nos sítios, locais mais distantes”, afirmou a coordenadora.   

O trabalho que hoje conta com 150 inscritos já mostra bons resultados, principalmente no quesito de retorno à escola por parte dos jovens que moram no local, e socialização entre a comunidade, “o presidente da colônia já nos fez um relatório de como melhorou a situação, pois estava existindo um pouco de agressividade, incômodo, desses jovens que estavam fora das escolas contra os moradores da colônia, e isso já veio a melhorar. Temos também bons resultados de pessoas que haviam abandonado a escola e já retomaram os estudos”, finalizou Jane.