Alunos afiados para a Prova Brasil

Não sei em outros municípios, mas aqui em Paragominas os alunos do 9º ano, do Ensino Fundamental II, da Rede Municipal estão afiadíssimos para a Prova Brasil, que será aplicada no período de 23 de outubro a 3 de novembro, nas escolas. A prova é um instrumento do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica e um dos componentes para o calculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, o IDEB.

E de hoje, 9, à 11, quarta-feira, nos turnos da manhã e da tarde, alunos de 9 escolas da Rede Municipal vão participar de aulões ministrados por professores de Matemática e Língua Portuguesa, no objetivo de revisar os principais conteúdos programáticos, revisitar os descritores da matriz de referência. E não é só revisão o objetivo dessas aulas diferentonas, mas promover mais interação entre os alunos, professores, escolas da Rede e despertar a autoestima. Quem afirma isso é Fernanda Américo, Coordenadora de 6º ao 9º ano da Secretaria Municipal de Educação. “Queremos integrar os alunos de diferentes escolas da Rede, aproximando, trabalhando a autoestima deles”. As aulas estão rolando no auditório da Prefeitura de Paragominas, sempre com duas ou três escolas, justamente para promover esse intercâmbio entre as instituições.

A Prova Brasil é realizada a cada dois anos e participam todos os estudantes de escolas públicas urbanas do 5° e do 9º e 3º ano do ensino médio de turmas com mais de 20 alunos. A avaliação é dividida em duas provas: Língua Portuguesa, onde é medida a capacidade de leitura, interpretação de textos e de fixação da mensagem. E a Matemática, onde é avaliado o raciocínio em contexto com a realidade do aluno.

Duas disciplinas consideradas bichos de sete cabeças por muitos alunos, mas não para os alunos que estão nos aulões. É o que afirma o professor de matemática, Pedro da Cruz, que dá aula nas escolas municipais Santo Antônio e Ilda Oliveira Sá. Ele conta que o nível dos alunos está muito bom e que isso é o reflexo do trabalho desenvolvido pelos professores durante todo o ano. “Não existe mágica. O que existe é muito trabalho para que os alunos possam nos trazer bons resultados. E estou positivamente surpreso com o aproveitamento dos alunos nesses aulões, em mais de 70%!”, conta o Professor.

E Lorrana Ribeiro Prestes, aluna no 9º ano da Escola Municipal Irmã Maria Angélica Dantas é uma das alunas com bom rendimento. Ela, que quer ser professora, diz que adora estudar e que suas disciplinas favoritas são história e matemática. “A prova Brasil vai medir nosso índice de aprendizado e vou me esforçar para tirar uma boa nota”, afirma.

Para Karine Bombana, aluna do 9º da Escola Municipal Presidente Castelo Branco fala que é nos aulões que ela tem a oportunidade de tirar dúvidas. “É bom para reforçar o que aprendemos na sala de aula e posso tirar as dúvidas que ainda existem”.