Paragominas terá VIII Jornada Pedagógica

Nos dias 17 e 18 de janeiro, a Secretaria de Educação reunirá quase mil profissionais da educação em uma jornada de palestras e oficinas que tem como objetivo falar sobre a educação especial e cuidados com a saúde.

 

Pela oitava vez, a Secretaria de Educação de Paragominas realiza a Jornada Pedagógica onde reunirá professores, coordenadores e diretores para falar sobre o processo de inclusão social e a valorização do professor. 

“É a primeira vez que iremos falar sobre a saúde do profissional da educação, onde teremos palestrantes da área da saúde como fonoaudiólogo, fisioterapeuta e psicólogo. Para que eles já comecem o ano com mais conhecimento sobre sua própria saúde como a voz, o corpo e a mente.” explica Creuza Rabelo, Superintendente da Diversidade da Secretaria Municipal de Educação. 

Além da saúde dos professores, outro tema destaque é sobre o processo de inclusão social. A ideia é que os professores sejam treinados, capacitados, instruídos, corrigidos e incentivados a melhorarem como profissionais éticos, que respeitam e valorizam seus alunos e suas necessidades individuais. 

A abertura acontecerá no Lions Clube de Paragominas com café da manhã e apresentação cultural, em seguida contará com a presença do prefeito Paulo Tocantins. “Investir em educação não é tão somente construir e equipar escolas. Vai além. Valorizar o professor e todos os profissionais da educação, é oferecer salário e condições de trabalho para que eles possam desenvolver um trabalho de excelência junto aos alunos”, ressalta Tocantins.

As oficinas acontecerão no Lions Clube e no auditório do teatro Reinaldo Castanheira, que terão com os temas: “Educação Especial na Perspectiva Inclusiva: surdez, autismo e fortalecimento das equipes de profissionais da Educação Inclusiva”.

Sobre a saúde dos professores: 

Faltas consecutivas, atestados e até afastamentos: a realidade do ensino no Brasil acaba por colocar a profissão de professor entre as mais desgastantes e entre as mais propensas a atrair doenças. Isso porque ele vive sob constante estado de alerta, elevando os níveis de estresse, de tensão nos músculos, de agressão às cordas vocais e de cansaço por conta das longas horas de pé, lecionando. 

Some a isso, ainda, uma classe de alunos indisciplinada, exigente e barulhenta, como ocorre com frequência. O resultado é um desgaste físico e mental que, muitas vezes, leva o corpo ao colapso, gerando as chamadas doenças funcionais. Ou seja, são doenças que acometem aos professores, relacionadas diretamente a determinados fatores do trabalho. O fato tem gerado a atenção de pesquisadores. 

Outras doenças comuns entre professores acometem laringe e cordas vocais, perda auditiva, bursites, rinite e sinusite crônica, liderando os motivos para afastamento. Mas há doenças mais silenciosas, como a depressão, que aparecem graças à cobrança excessiva da sociedade e aos ambientes tensos na sala de aula. O impacto na qualidade do ensino dos alunos por conta das faltas e das doenças dos professores é grande. 

Preocupada com tudo isso, a Prefeitura de Paragominas sai na frente e traz para os professores oficinas e palestras de orientação com profissionais de saúde para dar um suporte maior e ainda conta com o auxílio durante o ano dos coordenadores e diretores das escolas, pois por mais difícil que seja evitar situações extenuantes, atentar-se ao que está ao redor delas ajuda a buscar alternativas para diminuir o impacto físico e emocional ligado à profissão dos professores das escolas.