Evento discute restauração florestal e conservação da biodiversidade na Amazônia

De 14 a 16 de março em Paragominas (PA), pesquisadores, estudantes e líderes locais se reunirão para apresentar experiências e perspectivas sobre o tema.

 

Ao lado da luta contra o desmatamento ilegal, a recuperação florestal da Amazônia é uma questão urgente. Dos cerca de 40% de área de floresta da Amazônia Legal perdida nos últimos 30 anos, nem 1% foi restaurado. Ainda assim, muitas experiências de restauração na região se resumem a iniciativas pontuais com projetos em pequena escala, e necessitam de adequação da legislação às peculiaridades da Amazônia.

Para promover a discussão sobre o assunto e de formar uma rede em prol da restauração florestal no maior bioma do Brasil, a Embrapa Amazônia Oriental, a Hydro, o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) e a Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA/Campus Paragominas) promovem o “Workshop de Restauração Florestal, Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade da Amazônia”, que ocorre no período de 14 a 16 de março em Paragominas (PA).

A proposta é reunir pesquisadores, estudantes, líderes locais, produtores rurais, comunidades tradicionais, empresas de mineração e florestais, gestores públicos e organizações do terceiro setor a fim de reforçar as reflexões sobre ações de restauração e facilitar trocas de experiências entre ações já existentes.

O evento contará com palestras sobre experiências bem-sucedidas da restauração florestal, sessões temáticas sobre restauração em áreas mineradas, áreas agrícolas e áreas protegidas, além de grupos de trabalho sobre os temas de gestão e legislação, tecnologias de difusão, pesquisa e organização de uma rede para restauração e promoção de serviços ambientais. Ao final da programação, serão realizadas visitas técnicas a áreas agrícolas e à área da mina de bauxita da Hydro em Paragominas, onde os participantes terão contato com experiências reais de diferentes técnicas de restauração florestal.

 

Rede de pesquisa – O objetivo final do encontro é construir uma rede que unirá cientistas de múltiplas especialidades (ciências humanas, naturais e setor tecnológico), agentes da sociedade civil e do poder público que unirão esforços para implementar ações diferenciadas e com base científica sólida, para a restauração florestal na Amazônia. Para Marlúcia Martins, pesquisadora do Museu Goeldi e coordenadora do workshop, a rede é apenas o primeiro passo. “A motivação de todos os que irão ao evento é a mesma: todos querem a restauração. Então, o objetivo é unir esse interesse em comum em uma realização coletiva e buscar esse ganho de escala”, ressalta a pesquisadora.

Ela completa que eventos como esse são fundamentais para agregar conhecimento às iniciativas já existentes. “Há um clamor pela restauração vindo de vários setores da sociedade, além das demandas de adequação à legislação vigente, e as necessidades das pessoas, que perdem serviços ambientais fornecidos pela floresta e qualidade de vida, a qual precisa ser garantida através da restauração”, conclui Marlúcia.

 

Serviço – Workshop de Restauração Florestal, Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade da Amazônia. De 14 a 16 de março em Paragominas (PA), no Campus da Ufra em Paragominas.