Paragominas apresenta iniciativas concretas de preservação com desenvolvimento econômico.

Esta semana, a  Tropical Forest Alliance 2020 (TFA 2020) realizou a Reunião Regional TFA 2020 América Latina em São Paulo, Brasil. Esta reunião reuniu mais de 100 executivos globais e regionais de empresas, governos e representantes dos povos indígenas, sociedade civil e especialistas. 

De um tempo para cá, não foi apenas o agronegócio que mudou, as estratégias para enfrentar o desmatamento de florestas tropicais passaram a incluir cada vez mais outros atores além de governos. Se as leis e repressão a infrações, o chamado "comando e controle", eram as principais ferramentas usadas nesta luta, hoje é quase impossível falar de combate ao desmatamento sem olhar para o setor privado e sua produção de commodities. 

E para falar sobre o assunto, o Secretário de Meio Ambiente, Felipe Zagalo e o Secretário de Agricultura Breno Colonnelli estiveram na Reunião Regional para apresentar as cadeias da agricultura, pecuária e indústria, e como produzir com sustentabilidade no município de Paragominas. 

“Paragominas sempre foi referência ambiental, por isso apresentamos nossas iniciativas para incentivar a produção agropecuária, demonstrando as ações de controle ao desmatamento e restauração de áreas desmatadas” explica Felipe Zagallo, que apresentou através de imagens as ideias para o estado de São Paulo, Mato Grosso, diversas ONGs e investidores, principalmente de fundos europeus. Ele acredita que em breve o município será destaque nacional com iniciativas inovadoras.

 

Sobre o Tropical Forest Alliance 2020 (TFA 2020)

 

A Tropical Forest Alliance 2020 foi fundada em 2012 na Rio+20 após o Fórum de Bens de Consumo (CGF – Consumer Goods Forum) comprometer-se em 2010 a zerar até 2020 o desmatamento líquido para as cadeias de suprimento de óleo de palma, soja, carne, polpa e papel.

 

É uma parceria público-privada global na qual os parceiros adotam ações voluntárias, individualmente e em conjunto, para reduzir o desmatamento tropical. Agindo desta forma reduzem-se significativamente as emissões globais de gases de efeito estufa, melhoram os meios de vida de milhões de pequenos agricultores, conservam-se os habitats naturais e protegem-se as paisagens tropicais para as gerações futuras. Trata-se de um aspecto-chave da promoção de um desenvolvimento econômico rural inclusivo e sustentável e nos países com florestas tropicais.