Prefeitura age a fim de evitar conflitos entre lideranças indígenas e madeireiros em Paragominas

Paragominas foi a primeira cidade a implantar o projeto “Municípios Verdes”, e primeira também a sair da lista de municípios que mais desmatam do Ministério do Meio Ambiente. Com essa referência, existe uma atenção da Prefeitura de Paragominas em se preservar essa conquista e manter o município na vanguarda da sustentabilidade.

Na última semana, um conflito foi gerado após lideranças indígenas da aldeia Tekohaw terem apreendido um maquinário de posse de trabalhadores madeireiros da cidade de Nova Esperança do Piriá, alegando que os mesmos estariam fazendo a extração ilegal de madeira na reserva localizada em Paragominas.

A partir disso, os índios solicitaram a ação imediata dos órgãos competentes, bem como a Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente (Semma), exigindo assim junto ao Ministério Público Federal (MPF) a prisão dos envolvidos.

“Existe uma tensão muito grande na área em razão dos índios terem retido o maquinário deles, e o que o conflito poderá ocorrer caso esses madeireiros tentem retirá-los a força dos índios, gerando um conflito”, afirmou o secretário da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente (Semma), Felipe Zagalo.

Para entrar e atuar em áreas de reserva indígena é necessária uma autorização federal. Com isso, a fim de esclarecer os fatos, no último dia 18 do mês corrente, uma reunião foi proposta no auditório da Prefeitura de Paragominas, juntamente com o Prefeito Paulo Tocantins e o Procurador Federal Felipe de Moura Palha e Silva que estiveram reunidos com centenas de índios que reivindicaram a retirada imediata de madeireiros na reserva indígena.

“As lideranças indígenas estão empenhadas em parar com a extração ilegal de madeira e pediram ao MPF a prisão dos madeireiros envolvidos, em que apuração prévia, foi constado que são da cidade de Nova Esperança do Piriá. Estamos aqui para ouvir suas reivindicações e principalmente apurar todos os fatos do ocorrido”, falou o Prefeito Paulo Tocantins.

Com intuito de controlar a situação, a Prefeitura de Paragominas, através da Semma, se comprometeu em retirar este maquinário até a apuração dos fatos, e assim posteriormente tomar a atitude necessária para resolver a situação.

Contudo, no último domingo (23), outro maquinário foi apreendido pelos indígenas, deixando o clima mais propício para possíveis conflitos. Para evitar que os madeireiros entrem em confronto com os índios na tentativa de reaver o maquinário, a Semma, ainda nesta segunda-feira (24), irá lavrar auto de apreensão e depósito, e irá recolher todas as máquinas apreendidas até que o caso seja esclarecido.

“Será um trabalho em conjunto entre Prefeitura, Ministério Público Federal, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, e Polícia Militar, onde a gente vai primeiramente retirar todos esses equipamentos de lá para que tire o foco do maquinário na aldeia para evitar este conflito, essa é a primeira missão para resolver. E após isso faremos algumas diligências na área visando coibir esta extração ilegal”, disse o secretário Felipe.