O que é Sífilis?

 

Causada pela bactéria Treponema pallidum, seu diagnóstico é feito por meio de exame físico e laboratoriais. Pode ser tratada e curada por meio da utilização de penicilina, o primeiro antibiótico descoberto pelo homem, capaz de eliminar a bactéria do organismo. 

Só é contagiosa nos estágios primário e secundário e, às vezes, durante o início do período latente. Raramente, a doença pode ser transmitida pelo beijo, mas também pode ser congênita, sendo passada de mãe para filho durante a gravidez ou parto. 

A doença apresenta três estágios: 

Sífilis primária: um mês após o contágio, surge o principal sintoma, uma lesão genital sem secreções e com a borda endurecida na região da cabeça do pênis e nos lábios vaginais. 

Sífilis secundária: a bactéria continua a se reproduzir no organismo, até atingir outros órgãos, provocando feridas e manchas na pele por todo o corpo. 

Sífilis terciária: com lesões maiores na pele e podendo atingir o sistema nervoso, a doença pode causar problemas neurológicos e até a morte. 

Se você foi diagnosticado com sífilis, é importante notificar ao seu parceiro ou parceira para que ele ou ela possa também realizar os exames necessários para o diagnóstico, pois caso der positivo, quanto antes dar início ao tratamento melhor. 

Uma vez curada, a sífilis não pode reaparecer, a não ser que a pessoa seja reinfectada por alguém que esteja contaminado. Até que a bactéria seja totalmente eliminada, é preciso evitar relações sexuais. Isso pode levar cerca de 15 dias após o início do tratamento. 

O uso de preservativos durante as relações sexuais é a única maneira de prevenir a doença.