Parceria entre Prefeitura, HRPL e Governo do Estado amplia o tratamento de câncer no município

Na noite da última terça-feira (16), o Teatro Reinaldo Castanheira foi palco para a cerimônia que marcou o anúncio do termo aditivo entre Prefeitura de Paragominas, Hospital Regional Público do Leste (HRPL), e Governo do Estado, que garante a ampliação do tratamento de câncer dentro do município. A notícia foi celebrada com um evento que lotou o teatro, a fim de proporcionar o esclarecimento de como os serviços irão funcionar após a oficialização por meio do aditivo. “Estamos agora constituindo no termo aditivo ao contrato de poder estender na área da oncologia procedimentos relacionados ao ambulatório para fazer consultas oncológicas, e fazer também quimioterapia, com isso estamos agregando as cirurgias, onde teremos uma equipe com esse complemento da consulta, diagnóstico, e quimioterapia, agregando isso à população de Paragominas”, disse Victor Matheus, Secretário de Estado de Saúde. O evento contou com a presença de várias autoridades, entre elas o Prefeito Paulo Tocantins que falou sobre mais essa conquista de Paragominas que irá beneficiar cada vez mais a população. “Hoje é um motivo de alegria da gente poder dar essa notícia para Paragominas, apresentando esse aditivo que será feito no contrato com o Estado e Hospital Regional para podermos ter mais essa especialidade aqui na cidade, com a parte clínica, quimioterapia e cirúrgica”, falou o Prefeito. A parceria irá possibilitar a extensão do tratamento, não só para o município, mas também para toda a região que será atendida após o efetivo dos procedimentos, como cirurgias oncológicas, consultas médicas, quimioterapia, etc. “É um ganho muito grande, onde os usuários não vão mais precisar sair de Paragominas para fazer o tratamento e até mesmo as cidades da região, que vão ter uma referência em atendimento oncológico por perto”, frisou o Prefeito. De acordo com o Secretário de Estado de Saúde, o serviço vai ser vinculado diretamente com o Hospital Ophir Loyola em Belém, funcionando como uma matriz, para que pacientes em estados mais críticos possam ser encaminhados diretamente para a capital, servindo como uma retaguarda em caso de necessidade. Após a assinatura do termo o atendimento em Paragominas passará para 26 cirurgias por mês, tendo um total de 1.460 sessões de quimioterapia mensais, com um número de aproximadamente 200 consultas oncológicas a cada trinta dias.