Piscicultura tem incentivo direto na produção por parte da Prefeitura de Paragominas

Paragominas vem avançando cada vez mais em questões de agronegócio. Um deles que está se tornado promissor atualmente é o ramo da piscicultura, onde a região é responsável por 37% da atividade em todo o Estado. Contando com 450 hectares de água para a produção local e tendo como meta mais que dobrar este número ainda este ano, para 1000 hectares.

Por isso, a Prefeitura de Paragominas, através da Secretaria Municipal de Agricultura (Semagri), vem trabalhando arduamente para o crescimento quantitativo das atividades da piscicultura no município, onde o primeiro passo foi dado após a assinatura da Lei N°961/2018, que aconteceu durante a Agroshow 2018, no último dia 17.

“Com a assinatura da lei, estamos regulamentando e incentivando cada vez mais as atividades da piscicultura em nosso município, fomentando assim, cada vez mais a produção local de espécies na região, para tornar Paragominas um grande polo da piscicultura no Estado”, afirmou o Prefeito Paulo Tocantins a respeito da Lei N°961/2018 que regulamenta a criação de espécies exóticas aquícolas em sistema fechado no município de Paragominas, respeitando os padrões de proteção ao meio ambiente.

A produção segue a todo vapor, onde aproximadamente 10 toneladas de tambaqui são pescados semanalmente em Paragominas, sendo enviadas para o abastecimento de diversos municípios vizinhos que, inclusive, já estão estudando a possibilidade de implantar a Lei N°961/2018 em suas regiões. “Com a assinatura da lei, o Prefeito possibilitou a geração de empregos, renda, e até mesmo mais valor da atividade, onde algumas cidades como Santarém, Marabá, e outras, já estão estudando a implantação da mesma lei em seus municípios”, afirmou Maurício Brandão, responsável pelo Conselho Fiscal da Associação Paragominense de Aquicultores (APA) que tem um papel fundamental na produção do pescado no município.

Após a assinatura, a expectativa a respeito da produção de algumas espécies também aumentou, como é o caso da tilápia e do camarão, bastante visados no mercado, segundo o secretário municipal de agricultura, Breno Colonnelli, “a tilápia é um dos peixes com maior rendimento para a produção, e muito desejada pelos frigoríferos pela qualidade do filé, e o seu ciclo é muito rápido, por isso temos a expectativa do potencial produtivo da região crescer muito, outra espécie também muito cobiçada é o camarão, onde ainda não temos a produção mas estamos estudando como fazer, porém se a gente conseguir dominar a tecnologia baseando-se na disponibilidade que essa lei permite vamos conseguir produzir em grande escala”, disse.

Todos esses mecanismos foram devidamente estudados para a criação da lei com base na legislação municipal para estabelecer tais condições ao município, possibilitando assim o incentivo cada vez mais intenso a respeito da piscicultura em Paragominas.